Brasileiros criam aplicativo para mercado de orgânicos nos Estados Unidos
Brasileiros criam aplicativo para mercado de orgânicos nos Estados Unidos

Em setembro de 2015, inspirado por um grupo de amigos que produzem e vendem produtos orgânicos através do Whatsapp, o brasileiro Felipe Neuwald teve a ideia de conectar produtores e consumidores por meio de um aplicativo, removendo os intermediários e entregando assim, o produto mais fresco possível.

Com isso em mente, Neuwald apresentou a ideia para seu amigo e agora sócio, Davi Neves. Juntos começaram a desenvolver a ideia e criaram a startup PepMesh. Hoje, após análises de mercado, e desenvolvimento de processos de Design Thinking, pretendem faturar 4,7 milhões de dólares no primeiro ano de atividade.

"No momento que tive o insight, pensei na aplicação desta plataforma onde o próprio produtor definia o que ele iria vender e em qual região ele entregaria, mas este modelo se provou inviável quando analisamos que o produtor quer apenas produzir, e não se preocupar com logística e todos os problemas de entregar produtos frescos, em centenas de pontos na cidade. Após isso, definimos que faríamos o processo de marketing, venda e toda a logística, incluindo a coleta de produtos diariamente na fazenda", diz Neuwald.

A startup nasceu e irá acontecer nos EUA, onde o mercado de orgânicos ultrapassou em 2013 o valor de 27 bilhões de dólares, o que corresponde a quase 40% do mercado mundial, que no mesmo período atingiu 72 bilhões de dólares.

Em janeiro de 2016, a PepMesh provou seu inovador modelo de negócios e recebeu seu primeiro investimento-anjo (não revelado), e desde então a startup tem se transformado constantemente, passando por um processo de design de serviços e o desenvolvimento do produto mínimo viável (MVP), que tem previsão de lançamento para junho de 2016.

"Trabalho com produtos orgânicos desde 2012, e esse know-how ajudou muito na hora de formatarmos a startup. Colocamos no papel cada detalhe da PepMesh, desde o pedido do consumidor, a colheita do produto e a logística de entrega do produto fresco", diz Neves.

Os produtos disponíveis no marketplace nem sequer foram colhidos no momento que o consumidor faz sua escolha, e o processo logístico é tão eficiente que após o fechamento do pedido, a colheita é feita durante a madrugada, levada ao hub local da PepMesh e entregue durante a noite. Dessa maneira, o produto comprado é tão fresco que o consumidor o receberá no mesmo dia em que foi colhido.

Felipe Neuwald e Davi Neves

A startup está com sede em Delaware e escritório em São Francisco, Califórnia, e pretende atingir ainda no segundo semestre mais de 120 mil pedidos na região da Baía de São Francisco, que receberá o primeiro hub da PepMesh. Além da facilidade de uso e compra, tanto para o agricultor quanto para o usuário, a plataforma pretende gerar um aumento significativo de vendas para os produtores locais e melhorar a saúde e alimentação da população regional.

“Produtos orgânicos estão aqui para ficar e tornar-se a principal forma de consumo em uma sociedade consciente. Torna-se cada vez mais urgente criar uma ponte no vão que se construiu entre o campo e a cidade na sociedade moderna. Munimo-nos de conhecimento tecnológico, sem idealismo ou retrocesso, para entender todo processo industrial globalizado e, por meio de mapeamento de necessidades e desejos humanos, criarmos uma nova lógica de consumo focada em desenvolvimento e produção local”, finaliza Neuwald.

 

Redação Connect Media / Susy Zocolaro

Publicado em: 24/05/2016
Faça um Comentário
Nome Comentário
E-mail